Hora de tosquiar as ovelhas

Print Friendly

Mal chegou a primavera e já estamos colocando todas as nossas ovelhas na fila do cabeleireiro por aqui. Chegou a hora da tosquia anual, pensando nos fios que vamos fazer para o ano que vem.

Temos cerca de 650 ovinos na Fazenda, das raças Crioula e Texel. Cada uma rende, individualmente, entre 3 a 4kg de lã bruta. Desses, depois de lavar, cardar e pentear, apenas metade vira fio. O restante é a gordura da lã (lanolina) que sai no processo de lavagem, terra, sujeiras como galhos e sementes, além de fibras muito curtas que são retiradas no processo de pentear.

Em geral, o sistema mais utilizado no Brasil é a tosquia amarrada, e em muitos casos ainda com tesouras manuais, o que comumente causa acidentes, como cortes na pele. Mas nós, assim como nossos vizinhos Uruguai e Argentina, utilizamos máquina elétrica e um método australiano chamado tally-hi, que consiste em tosquiar os animais soltos, sem amarras. Isso faz toda a diferença porque, para o bicho, o trato é muito melhor e não há stress. Além disso, o rendimento é bem melhor e o processo, mais rápido.

A tosquia acontece somente uma vez por ano, quando o inverno acaba, pois a camada de lã é a proteção térmica dos animais, mas tem de ser retirada assim que o frio passa porque o calor intenso do verão causa muito desconforto e pode levar à perda de peso e até a morte dos animais.

E ao contrário do que muita gente pensa, a retirada da lã na época correta é um bem para os animais, porque leva à um estímulo para maior ingestão de alimentos, melhorando a condição corporal das ovelhas e a maior produção de leite para os cordeiros. Se o método de tosquia for racional, como o tally-hi, também no processo de retirada da lã não há sofrimento.

Aliás, uma curiosidade: aqui no Rio Grande do Sul os termos tosquia ou tosa são menos utilizados, pois como grande parte de nossa cultura e a própria criação ovina têm fortes influências dos vizinhos Uruguay e Argentina, tanto aqui como “allá” o verbo é “esquilar” e o profissional que executa a tarefa é, claro, o esquilador.

Todo mundo esperando a sua vez. Sobre o que as ovelhas fofocam quando vão ao cabeleireiro, hein?

“Preciso dar um tapa no visual”.

“Sou linda?”

Claro: tinha que ter mate, né?

A tesoura elétrica precisa ser amolada a cada 15-20 ovelhas.

No fim, cada bichinho tem, em média, cerca de 4kg de lã, que será lavada, cardada e penteada, para depois virar fio.

“Que preguiça…”

Todo mundo pelado!

Prontinha para o calor!

Sobre Fazenda Caixa Dágua

Fazenda Caixa Dágua - veja mais em http://www.caixadagua.com
Esta entrada foi publicada em Curiosidades e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

4 respostas a Hora de tosquiar as ovelhas

  1. valeria disse:

    Olá, muito interessante o processo de tosa. As ovelhas devem se sentir aliviadas. Abraços.

  2. Glana Ricci disse:

    Ahhhh Marco e Denise faz uma excursão pra gente ver todo esse processo ao vivo!!!

  3. Pingback: Uma andorinha só não faz verão | Blog da Fazenda

  4. giovanna disse:

    nossa, fico muito feliz de encontrar esse post por aqui!

    gosto muito de fios de lã mas fico com peso na consciência imaginando o quanto as ovelhas devem sofrer. mas ver como é o processo na fazenda de vocês me tranquilizou e me deu mais um incentivo pra comprar seus fios. podem esperar meu pedido que em breve vou encomendar uma leva aqui pro sudeste. ;)

    parabéns pelos belos produtos e pela presença em peso na internet!

Deixe uma resposta para Glana Ricci Cancelar resposta