Lã não é tudo igual

Print Friendly

Olhe a sua volta e repare no cabelo de quem está por perto. Uns são lisos, outros cacheados, alguns super crespos. Uns loiros, uns ruivos, uns castanhos, uns pretos. Uns fininhos e outros mais grossos. Uns curtos, outros compridos.

Pois é. Assim como o cabelo, lã não é tudo igual. Possuem as mesmas características citadas acima: forma, cor, espessura, comprimento.

Veja as fotos das fibras abaixo e compare:

Ovelha Merino

Alpaca

Mohair (Cabra Angorá)

Ovelha Corriedale

Cashmere (Cabra)

É claro que listamos acima apenas as fibras “mais famosas”, aquelas que você provavelmente já ouviu falar. Não dava para listar todas porque o número de raças de animais que dão lã no mundo inteiro é imensa.

E por que isso é importante? Porque sabendo o que cada característica significa você pode escolher o melhor fio para fazer as peças que quiser. Então, atenção ao rótulo na hora de comprar fios para o seu trabalho.

Por exemplo, quanto mais crespa for a fibra, mais elasticidade seu fio terá e maior a probabilidade do seu trabalho crescer no final. Quanto mais liso, menos elástico.

Outro exemplo, falando de comprimento da fibra. Quanto mais longa, mais áspera; quanto mais curta, mais macia. Porém, quanto mais longa, mais durável; quanto mais curta, mais a sua peça fará bolinhas, será mais frágil e maior será a chance de feltrar. Isso quer dizer que se você quer fazer uma meia confortável, macia, procure um fio que contenha lã de fibras curtas, como merino e cashmere. Porém, se você quer uma meia para usar com sapato todo dia, muito melhor será você escolher um fio que contenha lã corriedale.

Pelo caminho inverso, se você quer fazer uma peça para ficar em contato direto com a pele, como um cachecol, por exemplo, por mais linda que seja a cor, fique longe de corriedale (ou romney, ou crioula, etc), a menos que você não tenha problema com lã pinicando. Prefira, nesses casos, merino (ou ideal, etc).

Na Fazenda Caixa Dágua, trabalhamos principalmente com as raças de ovinos: Texel (Brancos e Naturalmente Coloridos), Corriedale e Crioula. Por estarmos em uma região bastante úmida, é difícil a adaptação da raça Merino Australiano em nossos campos, então optamos por produzir nossos fios Merino a partir de lã fornecida por outros criadores aqui mesmo no Rio Grande do Sul.

Texel e Crioula se assemelham ao Corriedale: fibras longas, duráveis, ótimas para casacos, objetos de decoração, acessórios. Já o nosso Merino é um dos fios mais macios que existem, bom para vestuário e para feltragem.

Além disso, temos orgulho em dizer que nosso fios são 100% brasileiros e naturais e o modo de fabricação procura respeitar ao máximo as tradições da fiação.

>> Conheça a nossa loja.

Sobre Fazenda Caixa Dágua

Fazenda Caixa Dágua - veja mais em http://www.caixadagua.com
Esta entrada foi publicada em A Fazenda, Curiosidades e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Uma resposta a Lã não é tudo igual

  1. Aline Leal disse:

    Olá, pode me informar se no brasil tem algum fornecedor ou criador de Cabra angorá, ou Cashmere. Eu compro do extreior, mas gostaria muito de ter alguem do Brasil para eu comprar.

Deixe uma resposta